domingo, 9 de dezembro de 2012

A felicidade é intermitente

(o conto do sad eyes)

Entraram na cabine de fotos instantâneas. Sentaram-se juntos, abraçados. Ele enfiou as moedas na ranhura e prepararam-se para as fotografias. Um minuto depois, uma tira de quatro fotos mostrava um pai e uma filha com a língua de fora, sorrindo cúmplices e fitando seriamente a câmara.

- Para mais tarde recordar. – ela disse. – Eu fico com esta e esta. – apontou para as escolhidas.


Ele aceitou sem discutir. A última palavra era dela. Guardava os poucos momentos que passavam juntos religiosamente. 


Recordou-se de quando ela tinha seis anos, dezassete anos atrás, no primeiro Natal separados. Tinham comprado um globo de neve para a mãe, com o anjo
sentado na nuvem, segurando uma estrela nas mãos pequeninas. Na sua memória, surgiu o sorriso dela e as suas palavras, na vozinha de criança, que há muito tinha desaparecido. ‘A neve a cair são as lágrimas do anjo. Ou diamantes.’


Dividido entre dois mundos, teve que se readaptar. A menina transformou-se numa mulher, independente, sonhadora como ele. Nisso, ninguém lhe tirava o mérito. 


Aprendeu a viver um dia de cada vez e a apreciar o que a vida lhe dava de bom. Mas como a vida nem sempre era generosa, os poucos momentos eram vividos em plenitude. Os minutos dos dias, que antes pareciam insuportáveis, gozavam-se o mais possível.

Caminharam em direcção à estação do metro. Era o destino dela. Ele seguiria a pé até casa. Abraçou a filha, viu-a afastar-se e guardou no coração mais um fragmento de felicidade.


8 comentários:

  1. Tão intimo, tão belo...
    O Sad só pode ficar emocionado de felicidade de receber este presente maravilhoso.

    ResponderEliminar
  2. é tão lindo, não é? era para ser o último, pq não tinha tido notícias do Mark (entretanto enviou e já o fiz em rascunho, só falta a foto).

    (vou repôr a vitamina D. que maravilhosa manhã soalheira. bjs).

    ResponderEliminar
  3. É lindo. Fiquei emocionado e de lágrima no olho.
    Bem, é como se nos conhecesses...
    Obrigado por este presente :)
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. foi um risco, não sabia se tinha pisado a linha. quanto aos filhos, nunca sei como reagem...
    :) ainda bem que gostaste.
    bjs.

    ResponderEliminar
  5. lindíssima. mais uma para o top das melhores das melhores (que são todas, claro)

    ResponderEliminar
  6. Não pisaste linha nenhuma. É um conto, e para mim é o mais bonito desta série :)

    ResponderEliminar
  7. Muito bonito, tens um dom especial para captar os momentos :)
    Bjs.

    ResponderEliminar
  8. Muito lindo! Muito emocionante! Cheio de carinho!

    ResponderEliminar