quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Os deuses devem estar loucos


Desde há dois meses que os três aparecem à noite, entre os novelos de sonhos, e sentam-se na cama, de pernas cruzadas, esperando pacientemente pelo meu despertar. Eu sei que só pode ser um sonho, fruto das aulas de História, mas desejo ardentemente pela noite, pelo instante em que a imaginação se apodera de mim e eu vivo verdadeiramente.

Sei quem são. Foram as centenas de livros que li, imagens que retive, que desenhei na minha mente, os meus três deuses preferidos: Hórus, com a cabeça de falcão; Osíris, com a mitra branca na cabeça e segurando o báculo e o látego; Anúbis, com a cabeça de um cão.

Quando surgiram pela primeira vez, assustei-me. Dormia, cansado, após um teste sobre as divindades do Antigo Egipto, a minha paixão, e sentaram-se sem demoras em cima de mim. Acordei sobressaltado, com um peso estranho, risos divertidos e olhares curiosos.

Com o passar do tempo, vivia duas vidas, de dia, era um adolescente tímido, inquieto e confuso, de madrugada, sentia crescer dentro de mim um novo papel. Era ou Anúbis, ou Hórus, ou Osíris, os três se metamorfoseavam quase ao mesmo tempo, rápido, tão rápido, cão, falcão, eu, mitra, cão, mitra, eu, falcão…

Se é apenas um sonho, deixo-me levar, que as manhãs trarão a realidade cinzenta, enfadonha e solitária.

Desejo que os dias acabem depressa, para voltar a encontrar os meus deuses e imaginar que me encontro, não no meu triste quarto, mas no antigo Egipto.

18 comentários:

  1. outro conto fantástico, Margarida. esta série dos 250 está a sair muito boa. espero que um certo editor nosso amigo esteja atento ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Logo que a nossa Margarida quiser!
      Seria uma honra e um prazer...

      Eliminar
  2. Fantástico! Fiquei com vontade de ter uns sonhos assim =)
    Acho que o Hórus vai adorar!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  3. eu cá acho que vocês estão a exagerar. não estão assim tão fenomenais...
    bjs.

    ResponderEliminar
  4. Waaaaaaaaaaaaaaaaa!!! *w*

    Estou sem palavras!
    Adorei o meu conto!

    Estás de parabéns, tenho lido todos os contos que escreves e sem dúvida que este, por ser o que me dedicas, tem um sabor especial! ^^

    Estou em êxtase por teres recriado tão bem a minha pessoa!

    E acertaste em cheio nos deuses que me costumam acompanhar! ;D

    Muito obrigado!

    Vou guardar este conto com muito carinho, foi uma bela prenda de Natal!

    Beijinhos,
    Hórus Gwanni

    ResponderEliminar
  5. ainda bem que gostaste, H.
    tive mesmo receio que tivesse fugido ao teu título.
    bjs e vai dando notícias :)

    ResponderEliminar
  6. Estava à espera de algo deste tipo,devo confessar.
    Muito bem escrito, até pela fusão das três divindades, apesar de tudo parece-me um dos que te deu menos trabalho, pois era óbvio o tema a tratar.
    Pode ser que o Hórus se entusiasme e continue com o blog...pelo menos está atento.

    ResponderEliminar
  7. sim, tens razão, João. só pesquisei as características deles. até pensei em mais deuses, mas confesso que sou ignorante nessa área e não me quis espalhar.
    bjs.

    ResponderEliminar
  8. Concordo com "miguel".
    Contos dignos de "habitarem" um livro.

    ResponderEliminar
  9. obrigada, Rosa, mas para habitarem um livro, precisam de mais alguma coisa...
    bjs.

    ResponderEliminar
  10. Não é exagero. Estão mesmo bons e, tal como o miguel, tb já pensei que um certo editor os deveria ler :p
    Estou ansioso pela minha histórias difícil :p
    bjs

    ResponderEliminar
  11. sad, o certo editor já me convidou :) vou pensar, mas estou muito sensibilizada, porque nunca foi essa a minha intenção.
    a tua história é das mais bonitas, para mim.
    bjs.

    ResponderEliminar
  12. Terno e jovial, seriam os adjectivos que, na minha escolha, melhor se aplicariam aqui. :')

    E, sim, concordo com a publicação dos teus escritos! Levas imenso jeito. :)

    bjo.

    ResponderEliminar