domingo, 16 de dezembro de 2012

Virgem maria

- Se não páras com isso, ainda levas mais. – a mãe disse, à mesa do jantar.

A criança fungou. Nas lágrimas deslizava, irremediavelmente, o sonho perdido, que se derramava a seus pés.


- Sinceramente, que ideia a tua! – a mãe prosseguiu – Que haveriam de pensar de nós?


O pai disfarçou o olhar e baixou a cabeça. Mastigou devagar a batata cozida e engoliu a vergonha.


A criança mordeu o lábio inferior, tentando reter os soluços.


- Eu só queria… - a tentativa de verbalizar o seu desejo resultou numa bofetada que lhe rachou o lábio e a deitou da cadeira abaixo.


Olhou-a, de olhos esbugalhados, com sangue e lágrimas que se enleavam na língua. Notou o sabor acre e salgado, como das outras vezes, mas agora doía-lhe mais. Sentiu um abandono tão grande, como se o ardor dos dedos cruéis da mãe fosse um prenúncio dos dias difíceis por que teria que passar.


- Basta! – o pai levantou-se. Fora a gota de água. 


- Se apoiares essa ideia maluca, eu vou-me embora – ela ameaçou.


Ele ajoelhou-se, abraçou a criança e limpou-lhe o sangue com as pontas dos dedos.


- Serás a mais bonita virgem maria da peça da escola – garantiu-lhe.


Ouviram a cadeira a arrastar, a porta a bater, os dias cinzentos a afastarem-se.


O rapazinho ergueu os olhos marejados para o pai e perguntou timidamente:


- Prometes?


Envergando um manto azul celeste e contemplando um menino jesus deitado nas palhinhas, todo ele resplandecia, qual estrela de belém.

(a pensar se irei enviar para o 3.º pixel)

15 comentários:

  1. Faz muito mais sentido assim, Margarida.
    E claro que a vais enviar ao Sad...

    ResponderEliminar
  2. sim, suponho que sim, era isto mesmo que queria escrever, tal e qual. :)

    ResponderEliminar
  3. estou a lembrar-me de uma troca de emails com o sad, na qual referi que estava cansada, com o concurso das lombadas e os contos e as postagens seriam mais espaçadas. mas foi antes de saber do pixel. portanto, a culpa é do sad, se continuo a publicar afincadamente :D

    ResponderEliminar
  4. Gostei imenso. Claro que também tens que concorrer com este, está muito bem conseguido.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  5. então ainda bem que o fazes; passar à tua porta é sempre uma experiência extraordinária

    ResponderEliminar
  6. é incrível como nos surgem estas coisas, assim num repente...
    obrigada :)
    bjs.

    ResponderEliminar
  7. inseri o pronome 'todo' ficando 'todo ele'... soa-me melhor.

    ResponderEliminar
  8. creio que não seja para pensar, mas sim para concorrer...

    gostei muito... :)

    ResponderEliminar
  9. obrigada, Francisco.
    irei, sim.
    bjs.

    ResponderEliminar
  10. Acho que este texto deve concorrer mesmo! Muito bom!

    ResponderEliminar
  11. obrigada, namorado. seguirei os vossos conselhos, sim :)

    ResponderEliminar
  12. Tão intenso como a bofetada da mãe.

    É um encanto passar por cá e ler estes escritos :D

    ResponderEliminar