domingo, 27 de janeiro de 2013

A mancha e os dedos


A rapariga tinha uma mancha roxa na face esquerda. Começava na pálpebra, descia pela maçã do rosto e terminava num pingo de cor junto ao queixo. Parecia que deus tinha brincado com o tubo de guache e, a dado momento, tivesse carregado com um pouquinho mais de força, derramando um feixe de cor na sua pele alva.

O rapaz tinha seis dedos na mão direita. Junto ao dedo mindinho, existia, mais pequeno, um outro. Talvez deus se tivesse aborrecido de brincar no barro e resolvesse moldar um dedo extra à sua criação.

Ele deslizou a mão de seis dedos pela face esquerda dela, como um dedilhar suavíssimo nas teclas de um piano, tocando uma melodia quase inaudível, ou a espuma que sobeja numa onda rasteira e deixa um beijo tímido na areia.

Ela fechou os olhos e esperou. Com a ponta dos dedos, ele desenhou a ternura naquela tela violácea, num coração cheio de amor e numa flor cujo caule terminava no canto dos lábios. 

Observo-os da janela, entre tragos da bebida. Protegiam-se da intempérie debaixo do toldo do bar. Até eles terem aparecido para se abrigarem da chuva, o anoitecer caía negro, chuvoso e triste. 

Naquele momento, como um fio de cor que escorrega pela lata de tinta, de entre os seis dedos do rapaz que amavam a mancha roxa da rapariga, o amor explodiu num sorriso cor-de-rosa que coloriu os lábios dela e fez cintilar os olhos azuis dele.

A noite, finalmente, brilhou.

20 comentários:

  1. Quando publicaste "isto", por antecipação, no Google+ (uma amabilidade extremamente simpática para quem te segue lá), o único comentário que lá deixei foi, como te recordas, "faltam-me as palavras". E repito-o agora.
    Faltam-me as palavras, porque nesta pequena história eu vejo uma escritora nata, com o uso da palavra exacta no momento certo, como quem há muito, mas mesmo muito tempo, escreve e disso faz a vida.
    Eu não tenho qualquer dúvida que tens um imenso futuro neste campo, e aquilo que já foi ventilado sobre uma futura edição de um livro de contos teus pela editora do João e do Luís, penso que será mais cedo do que se pensa, pois tu já tens "material" suficiente, para com mais "meia dúzia" de histórias te aventurares a isso.
    E aí reside outro facto a realçar, que é o caso de seres extremamente profícua na elaboração dos teus contos; aceitando que não tinhas material na "gaveta", tu, desde há cerca de dois meses a esta parte, escreveste muito! Muito e bem!
    Como conseguiste suster dentro de ti, sem "explodir", todo esse enorme talento?
    Mereces um enorme beijinho de Amizade e admiração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)
      agora quem nao tem palavras sou eu.
      obrigada pela tua amizade, carinho, por tudo o que me tens ensinado, pelas leituras sugeridas, pelo abrir da tua casa e da tua vida a mim, uma desconhecida.
      sim, nada tinha escrito em palavras, mas estavam cá dentro e surgiram na altura certa, como tudo tem um momento próprio. juntaram-se as estrelas, tu entre elas e depois tornou-se relativamente fácil. não fácil escrever, começar demora tempo, nem sei como, mas depois é uma torrente e tenho receio que se torne demasiado. por isso, talvez, escolhi este método das 250 palavras. obriga-me a seleccionar as palavras certas.
      muito obrigada por tudo.
      bjs.

      Eliminar
  2. Comentar o quê, se o João disse tudo e tu já respondeste?

    Quem fica sem palavras sou eu.

    De qualquer modo, leitor assíduo, ávido sempre por mais contos e epísódios da vida - narrados por ti, Margarida.

    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada tu, Pedro, pelas leituras e comentários :)
      neste momento, estou a escrever mais um de 250 palavras, encontro nesta estratégia a forma mais conveniente do meu trabalho. são vários contos de 250 p. que depois junto e aperfeiçoo com um e outro detalhe.
      quanto ao livro, não sei se sairá mais cedo, estou a aproveitar todos os contos que vos ofereci, mas têm que ser desenvolvidos e já tenho bem delineada a estrutura do livro. não podem ser 'meia dúzia' de contos, não :) mais, mas não há pressa, a história acaba por encontrar o seu rumo.
      bjs.

      Eliminar
  3. E este texto tem um brilho especial

    gostei muito

    beijinhos grandes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) faz parte de um conto muito especial. não é difícil saber qual é.
      bjs.

      (e agora a cena: sair a correr do quarto-de-banho embrulhada no toalhão, a tremer de frio e a apontar uma ideia na página do conto aberto antes que ela me fuja! :D )

      Eliminar
  4. Está um conto lindíssimo. Foi uma bela ideia, original. :)

    Tenho a certeza de que o teu livro de contos será um sucesso. Não te faltará a inspiração, acredita nisso. Eu também escrevo e sei o que é ter as palavras, o esboço, e nem sempre conseguir transpor para o papel (escrevo sempre primeiro à mão).

    beijinho e parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não é nada fácil, daí este método. escrevo directamente no netbook, assim, controlo as palavras e risco o supérfluo. tenho vários contos numa pasta com o mesmo nome e o livro já com alguns praticamente terminados.
      também tenho papel e lápis espalhados pela casa e na mala, para apontar algo que surge no momento, até já escrevi um apontamento na lista de compras :)
      também acho este conto lindo. um casal estranho, normalmente vira-se a cara ou olha-se fixamente. neste caso, resolvi tirar o melhor proveito das 'brincadeiras de deus'.
      bjs.

      Eliminar
  5. Lindo, lindo e lindo. Gostei muito!

    ResponderEliminar
  6. Mais um dos teus belos contos. Eu gosto muito deste formado, mas sou suspeito :-)
    E parece-me que vamos ter contos aos domingos. Muito bom :-)
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada, sad. sim, até ver, teremos.
      só posso agradecer-te pela inspiração das 250 palavras :)
      bjs.

      Eliminar
  7. Já todos disseram tudo - resta-me acrescentar simplesmente:
    Continua!
    Parabéns! ^^

    Beijinhos e votos de bom domingo :3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. continuarei :)
      obrigada.
      bjs e continuação de bom domingo também para ti.

      Eliminar
  8. Especialmente sensível e bonito este teu conto, um dos melhores que já aqui publicaste. Tens imenso talento para as palavras e o teu livro de contos vai ser uma revelação para muita gente.
    Bjs Margarida e boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito obrigada, Arrakis, sim, quando pensei na rapariga com a mancha e no rapaz com os seis dedos, a ideia estava mais ou menos delineada na cabeça. o difícil é traduzir em palavras isso. ainda bem que saiu assim, bonito.
      boa semana.
      bjs.

      Eliminar
  9. Tornei-me fã dos seus contos, Margarida. Este é um verdadeiro arco-íris de palavras e sentimentos. Muitos parabéns
    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Não sabia que pensavas lançar um livro de contos mas que tens estofo para isso tens sim senhora! As tuas histórias são sempre interessantes e fazem crescer imagens dentro da minha cabeça à medida que vou percorrendo as palavras. Parabéns!

    ResponderEliminar