domingo, 10 de março de 2013

Na mira

Os olhos brilhantes observam os pombos saltitando no passeio enquanto debicam o farelo atirado pela janela do rés-do-chão. Os ouvidos atentos captam os sons, a cabeça girando para a direita, seguindo o velhote do quiosque que refila com a velha que alimenta os pássaros, ‘Cambada de porcos que me borram as revistas!’, vocifera, abanando os braços. Parece um helicóptero que tenta levantar vôo, com os braços compridos como duas pás sacudindo o ar tapados pelas mangas do casaco escuro e largo. O olhar curioso detecta o frenesim do homem, andando de um lado para o outro, afastando as aves.

‘Maldita velha!’, ele resmunga, regressando ao cubículo. Ajeita as pilhas de jornais, volta a prendê-las com os oitocentos e cinquenta gramas de chumbo em forma de paralelepípedos. Aos diários generalistas seguem-se os desportivos, depois os sensacionalistas e, por fim, os semanários. Alinhados muito direitos, como se esperassem o sargento para a revista diária. 


Do seu lugar, vêem tudo isso, mas os olhos continuam a procurar outro alvo. Encontram-me sentada na esplanada do café ao lado do prédio. Descobrem-me a olhar para eles, com o pescoço erguido para a janela do segundo andar.


Fixa em mim os olhos, enfrenta-me sem pestanejar, é um duelo silencioso. Debato-me, o coração bate mais rápido, as narinas contraem-se e sei que estou perdida.


Com um golpe final, um sorriso malicioso surge. Baixo os olhos, rendida.


Na mesa, deixo o dinheiro do café e vou ter com ela.

18 comentários:

  1. Já tinha lido o conto e já o tinha comentado pessoalmente para ti.
    Excelente, como é hábito.

    ResponderEliminar
  2. Óptimo! Gosto imenso das comparações que vais fazendo ao longo do conto.

    Poderia ser perfeitamente mais uma manhã numa esplanada lisboeta que fica de frente ao quiosque. :)

    beijinho.

    ResponderEliminar
  3. E um acontecimento que poderia muito bem ser vivido por qualquer um de nós, que já o vivemos noutros tantos locais, noutros tantos cenários!

    ResponderEliminar
  4. Julgo que é um dos teus melhores!
    Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada.
      retirei, mas não invalida o facto de te agradecer a correcção, mesmo técnica e mínima. :)
      podia estar muito bem no início, mas agora está perfeito.

      Eliminar
  5. há textos que não resistem a uma segunda leitura, e há outros que ganham ainda mais força e sentido. este conto é um destes últimos, sem dúvida.

    ResponderEliminar
  6. Mais um domingo, mas um conto delicioso.
    Gosto da forma como constróis personagens com tantos detalhes, e nos contas uma história, num formato tão curto. É o teu formato, sem dúvida.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. também acho que é, embora me tenha aventurado numa história mais comprida. porém, acho que não correu muito bem.
      bjs.

      Eliminar
  7. Gsotei imenso, textos assim são os que mais gosto de ler, capazes de me fazerem recriar mentalmente o que estou a ler! ^^

    Beijnihos e parabéns! ^^

    ResponderEliminar
  8. Excelente! Estás a apurar estes contos curtos :)
    Bjs e boa semana.

    ResponderEliminar