sábado, 1 de junho de 2013

Azul

  Todos os dias passava por sua casa. Abria o portão e subia os degraus de pedra. Dava-lhe dois beijinhos, ela sorria e retribuía. Os seus lábios fininhos deixavam um vestígio húmido na minha cara. Dominava a impaciência em esfregá-lo, limpando os resíduos da sua doçura, porque a amava. Nas suas mãos enrugadas e trémulas vivia a ternura e no rosto mirrado repousavam os seus olhos cobertos por uma névoa azul clarinha.
  Puxava, então, o banquinho vermelho de madeira, sentava-me de costas e esperava. Ela percorria devagar a trança, acariciando os cabelos que se tinham desprendido. Desenrolava o elástico grosso, desmanchando a trança esquerda, e três longas meadas de cabelo negro ondulavam nas suas mãos. Começava a pentear-me lentamente, primeiro com os dedos magros e curvados, depois com a escova, marcando o ritmo de mais uma manhã serena, como eram todas as manhãs naquela altura. Perguntava-me como estava a avó, a mãezinha, os irmãos. Eu respondia que estavam bem, depois olhava para o céu, procurando os dois traços de giz que riscavam o azul. Diariamente, um avião a jacto passava no alto, como parte imutável dos dias de Verão. Seguia-lhes o rastro com o olhar, esfumando-se a sua passagem em pontos diáfanos, o avião a desaparecer lá longe.
  Ela voltava a entrançar o cabelo, enrolava o elástico na ponta e repetia os mesmos gestos na trança direita. Depois, eu encostava-me nos seus joelhos e ela descansava as mãos nos meus ombros, num remanso de mais uma manhã calma de Verão.


 
(por que hoje é o Dia Mundial da Criança. Não tinha tranças, mas tinha puxinhos - já tinha publicado esta foto).

20 comentários:

  1. Uma bonita história de infância.
    E és tu na foto, não há dúvida ;)
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tinha sete anos e é a típica foto da primária, neste caso, na sala da segunda classe, 1980, não sei o mês. o clássico casaco com uma argola no fecho e provavelmente usava umas calças de bombazina com joelheiras :P
      era uma maria-rapaz.
      bjs.

      Eliminar
  2. Mantens muitos dos traços de menina. É incrível. :)

    Eu perdi um pouco. Só o cabelo se mantém praticamente inalterado. :D

    Gostei imenso das tuas memórias.


    beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. chama-se imaginação, querido Mark. :)
      raramente usava tranças, porque o cabelo era muito forte e eu não gostava.
      obrigada.
      bjs.

      Eliminar
  3. Então, feliz dia da criança...
    ;)

    ResponderEliminar
  4. o que eu mais gosto neste texto é do tempo. o tempo que as palavras demoram, as pausas, a cadência tranquila. apetece parar a olhar para a cena, a olhar para o texto, a olhar para o tempo.
    (e a olhar para a menina no rosto de hoje)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e esta capacidade de moldar a infância a nosso bel-prazer...
      (eu gosto imenso desta foto, não foi por acaso que a escolhi).

      Eliminar
  5. Fiquei a pensar quem seria Ela.
    Gostei muito do texto.
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para 'Ela', baseei-me numa prima muito velhinha, teria uns 80 e muitos anos quando eu era pequena, toda vestida de preto e com os olhos clarinhos assim, muito doce e que vivia numa casa com um portão, mas nunca me penteou, que eu me recorde. :)
      muitos dos meus contos são autobiográficos, mas muitos pormenores são ficcionados.
      bjs.

      Eliminar
  6. Estás muito gira na fotografia! ^^
    A história está perfeita, gostei muito!
    Beijinhos :3

    ResponderEliminar
  7. Um texto tão doce como a tarde de verão que descreves.
    Gostei muito da foto, tens cá um ar de reguila :)
    Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. reguila era o meu segundo nome. fiz muitos cabelos brancos à minha mãe :P
      bjs.

      Eliminar
  8. Não é surpresa dizer-te que gostei muito do conto, até porque é a "minha praia", isto é um conto feito de recordações.
    Penso que é uma bela forma de comemorar este dia e é mais uma pessoa a publicar uma foto sua na fase da infância; eu já o fiz e li parece ter sido no blog do Sad que era uma ideia curiosa todos o fazermos. Seria uma bela colecção de fotos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada :)
      eu já tinha publicado esta foto em setembro passado, num post sobre uma menina que ia para a escola de totós, com o título 'os cabelos parecem choupais'.
      achei o conto adequado e a foto também :)
      quem sabe se a próxima iniciatixa pixeliana não terá fotos de crianças? :)

      Eliminar
    2. É uma bela ideia Margarida. Tinha pensado lançar um desafio no dia 1 de colocarmos todos as nossas fotos de infância. O Alex falou nisso precisamente.
      Poderiamos ter feito um pequeno desafio literário ilustrado pelas nossas infância. Vamos pensar nisso no próximo ano ;)

      Eliminar
    3. vamos, terás é que lançar o desafio umas boas semanas antes :) a foto já existe.

      Eliminar